A beleza do show de tango

O dia de Luján foi bem cansativo e, o cansaço se acumulou. Hoje era um dia que planejamos ir ao Temaiken, mas entendemos que já chegava de bichos. Outra opção era Caminito e La Boca. Mas acabou que a opção mais agradável era dormir até dar vontade. Acordamos quase na hora do almoço e fomos conhecer o Shopping Palermo, aparentemente o último dos grandes shoppings que não havíamos conhecido na cidade. Mais uma vez, nada de mais. Almoçamos um yakisoba padrão argentino, sem sal, na praça de alimentação. Prato caro e mal servido, mas com gosto satisfatório. Não demoramos muito por ali e achamos melhor voltar pro ap. As redondezas do shopping eram bem agradáveis. Creio serem Palermo Soho, ou Palermo Hollywood, nunca sei essas classificações de fresco pros bairros.

Vimos um filmezinho e curtimos o resto da tarde até dar a hora de nos arrumarmos pro tango. Já no Brasil contratamos o Madero Tango, veja as Dicas. Chegado o horário combinado, lá fomos nós. Luciana toda chique, muito gata, me apaixonei de novo. Eu já estava meio mulambo, pois vi na internet que muita gente vai sem ir muito arrumado e não queria levar roupa especial na mala só pra isso, cada peso extra é ruim.

O lugar é muito bonito. Um dos motivos de ter optado pelo Madero Tango é saber que há uma vista linda de Porto Madero de noite, como você pode ver ao fundo. As mesas são todas muito próximas e demos sorte de nos dois lados não ter ficado ninguém, mas isso não teria chegado a ser um incômodo muito grande. Você recebe o menu e faz de uma vez seu pedido completo – entrada, prato principal, sobremesa e bebidas. Escolhe dentre várias opções, que você pode conferir no menu do site oficial.

Pedimos vinho e agua, a outra opção era refrigerante, que tenho evitado. O vinho, que podia ser tinto ou branco, escolhemos tinto. Você podia escolher a uva, malbec ou outra, que acho que era cabernet-sauvignon. Optei pela malbec, que é a uva típica da Argentina (confesso, na cagada, pois na ocasião não sabia nem que malbec era uma uva). Sou ogro e não entendo porra nenhuma de vinho, mas depois da visita à vinícola em Santiago, que narrarei em outro post quando falar de Santiago, vou tratar de me informar a respeito. Muito interessante. Bem, esse vinho aí não curtimos muito, pois não somos fãs de vinhos secos e ácidos, tanto por nosso paladar ainda não ser desenvolvido pra essas coisas, quanto por termos azia e vinhos ácidos não descerem bem.

De entrada peguei uma salada cujo nome não me lembro e Luciana pediu uma Cesar. Acabou que trocamos o prato sem querer, pois eram parecidos e quem se deu bem foi eu, a Cesar era mais gostosa. Tiramos foto do prato principal, bife de chorizo (um bifão gordinho de alcatra) com papas (batatas). Fiquei com muito receio de pedir esse prato, pois as carnes lá costumam ser com pouco sal e tempero, como já disse, além de mal passadas. Pedi bem passada e veio no ponto, muuito bem temperada e saborosa. Veja que belezura esta foto. Parafraseando Platão, “delícias, delícias, assim vocês me matam”. A carne, muito bem servida, estava maravilhosa, hmmm … só de lembrar deu agua na boca. Não chegamos nem perto de comer tão bem em nenhum outro lugar na Argentina, nem no Uruguai. De sobremesa pedimos tiramisú, matando a saudade da Itália. Estava gostoso, ótima experiência.

Terminado o jantar, começou o show, tudo sem demoras. Não imaginava que ia gostar tanto. No início contam uma historinha do tango, com fotos antigas da cidade de Buenos Aires exibidas num telão. Aí começa o show, com uma espécie de teatrinho mudo. Vários casais começam a dançar com habilidade incrível e, entre um ato e outro, um homem mais coroa, o apresentador, canta, acompanhado de uma mulher. Ele tem voz boa, a dela é um pouco incômoda, alta e de timbre grave demais. Essa aí, da foto. Saiu um pouco escura, pois não havia tempo de preparar a máquina. É proibido fotografar e filmar e as pessoas ficam com medo. Eu sou abusado e acho que vale o risco. Mas é claro, não sou sem noção, só fotografo discretamente, sem flash. No caso, era Luciana fotografando.

O show também conta com a participação desse cabeludo aí da foto. O cara tem mó cabeleira amarrada num rabo de cavalo, lembrando um pouco um espanhol. Apelidei-o de Vega que desmunheca. É o seguinte, o cara sempre entrava em cena com mó cara de mau, com os efeitos especiais de palco ao fundo, dava uma atmosfera legal. Mas aí ele começava a sapatear cheio de raiva, que nem mulher histérica dando piti, hahaha. Ok, sou ogro mesmo, não sei apreciar um bom sapateado. Na verdade eu até achei legal, Luciana que não curtiu muito, mas não pude deixar de fazer a piada.

Os casais, que eram uns 7 ou 8 acho, dançam pra caramba e uma dançarina em especial deu um show de interpretação. Antigamente, quando era ainda mais ogro, sujo e fedorento, tinha preconceito com essas coisas de dança, não via graça. Mas o ótimo filme Cisne Negro, que, confesso, inicialmente também assisti com certo preconceito, me fez ter uma visão diferente e apreciar uma boa expressão artística interpretada com uma história de fundo. Já gostava de óperas desde que, jogando videogame (momento nerd on) tive a oportunidade de ver a belíssima cena do jogo Final Fantasy VI, um de meus preferidos, protagonizada pela personagem Ceres. Passei então a querer ver um dia uma ópera de perto. Piadas à parte, estamos aí pra isso, pra evoluirmos nossas visões de mundo, enxergando a vida por ângulos diferentes daqueles a que estamos acostumados.

Já no final começaram a encher linguiça e colocaram umas bailarinas se exibindo fazendo manobras acrobáticas nuns panos pendurados no teto do teatro, que nem nos shows de circo. Essa é uma das reclamações mais comuns de algumas pessoas nas casas de tango mais famosas e passou a ser minha também. Estamos ali pra ver tango, não circo. Dizem que no Señor Tango, casa de tango mais famosa da cidade e número 1 das agências de turismo brasileiras, a coisa é ainda pior. O show fica longo demais e cheio de palhaçadas. Mas fazer o que, essas coisas agradam a maioria, que batia muitas palmas. Eu fico com pena dos artistas, que se arriscam nessas coisas, quando deveriam se limitar a dançar tango, o que já fazem muito bem. Quem quer fugir disso deve procurar uma milonga, pra ver tango de verdade.

Por um momento o apresentador interrompe o show e interage com a plateia, perguntando de onde as pessoas são. Havia gente do mundo todo, mas é claro, nós somos a maioria. É incrível como por toda parte somos muito numerosos. O poder de consumo do Brasil é enorme no atual cenário mundial. O apresentador começa a cantar 3 músicas em homenagem à plateia, duas delas de Frank Sinatra, como My Way. Acertou em cheio, música que meu sogro adora e emocionou Luciana. Em seguida, mais algumas apresentações de dança e se encerra o show. Os garçons informam que o serviço não está incluso, mas não pressionam por nenhuma gorjeta em específico, você dá se quiser, o quanto quiser. Achei merecido e paguei os 10 %. O casal que encontramos em Luján disse que no Señor Tango os garçons já chegam pedindo 100 pesos, rs. Que putos. Lá fora está o transfer nos esperando e parei para algumas fotos naquela linda paisagem, com essa linda mulher. Tivemos um retorno bem agradável e bateu aquela sensação de que nossa experiência em Buenos Aires já estava completa, não precisávamos de mais nada.

Dicas:

– pelo Click Hoteis você pode, do Brasil, sem pagar IOF, pagar pelo cartão de crédito parcelado sem juros o show de tango que desejar. Tem Señor Tango, Piazzola, La Ventana, Carlos Gardel, todos os famosos, é só escolher. Se seu hotel não é longe da área central, eles te pegam e te deixam lá. Se atrasaram apenas 10 minutos, valeu muito a pena. A opção que pegamos é o “jantar de última hora”. Na hora fiquei com receio de cair numa furada, mas pegamos uma mesa boa. É muito difícil não pegar uma, o lugar não é grande, tudo fica bem localizado, ao menos no Madero Tango. E os preços são muitas vezes até melhores que no próprio site oficial, ou demais sites que vendem shows, pois inclui transfer pro hotel.

Anúncios
Esse post foi publicado em 1.7 - Buenos Aires dia 6. Bookmark o link permanente.

3 respostas para A beleza do show de tango

  1. Excelente essa dica do Click Hoteis. Eu vou comprar pelo site. Não tenho a mínima noção de quanto dinheiro em moeda local levar aqui do Brasil.

  2. Zilmara disse:

    Fiquei com uma dúvida quanto a comprar pelo Clickhoteis. Após a compra no site como se procede? Você tem alguma voucher que dá direito ao ingresso? É preciso trocar pelo ingresso em algum local?

    • luademochila disse:

      Oi, Zilmara.

      Sim, você tem um voucher, encaminho o meu pro seu e-mail para você ter uma ideia de como é. A agente de viagens também entrou em contato comigo encaminhando um link para gerar o voucher.

      Não me lembro se na hora precisei trocar, o que me lembro com certeza é que logo na entrada do Madero Tango precisamos pegar uma fila pequena para alguma coisa. Não me lembro se era para trocar o voucher ou só para pegar os lugares. Certo é que, levando o voucher, vão te orientar lá na hora do espetáculo.

      Abs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s