Toscana, dia 1 – o charme de Florença

A cidade é bem fácil de andar. Começamos pela igreja Santa Maria Novella, a qual só conhecemos por fora, pois era preciso pagar para entrar.

Achamos um absurdo pagar só pra entrar numa igreja. Continuamos andando e paramos numa loja de souvenir só pra olhar, onde mais tarde voltaríamos. Seguimos em busca do Mercato Centrale. Do lado de fora há um camelódromo, que não vendia nada que nos interessasse. Do lado de dentro há um mercadinho que vende ingredientes típicos. Ainda não estávamos com fome e não compramos nada, mas seria muito interessante comprar umas coisas e levar pro hotel. Talvez numa próxima viagem. Continuamos andando e avistamos o Duomo.

Lindíssima por fora, bem diferente.

Havia um filão para entrar e deduzimos corretamente, pela fila, que era de graça.

Visitamos a igreja por dentro e optamos não pagar para entrar no batistério e cripta.

Saímos

Chegamos à Piazza della Signoria, onde vimos a Fontana di Piazza del Netuno e o Palazzo Vecchio

Na frente do Palazzo Vecchio estava uma das inúmeras réplicas de David espalhadas por Florença. David é uma das obras mais famosas de Michelângelo, esse sujeito peladão na foto abaixo.

A propósito, mais uma prova de que os italianos não são tão machões e, sim, meio esquisitões. Não só há inúmeras réplicas do David, peladão, como numa loja de souvenirs vimos o saco do David pra vender em forma de chaveiro (!!!)

Como há réplicas dele por toda a cidade e já tendo pouco tempo disponível, resolvemos nem ir para a Galeria Academia, cujo ponto principal era a estátua original. Não nos arrependemos disso, pois havia muito mais o que ver.

Chegamos na entradinha do Palazzo Vecchio

Mas demos meia volta e nos despedimos desse belo monumento

Passamos na tal loja de souvenirs. Lá esqueci minha recém comprada máquina. Por sorte, parei na porta pra Luciana pegar algo na minha mochila e eis que surge a funcionária, perguntando se eu esqueci uma máquina lá. Que sorte de encontrar uma pessoa honesta, pois teria sido uma perda enorme.

Já estava na hora da Uffizi, que estava reservada. Pagamos inclusive pelo direito de não enfrentarmos filas, o que acabou se revelando vantajoso. Veja o que poupamos

Houve alguma confusão sobre onde se dirigir, pois era mal sinalizado, mas perguntando achamos. Não gostamos de lá. Logo na entrada, um esquema de segurança meio anti-terrorista. Mas depois descobrimos, assim como em todos os lugares, que no final das contas todo mundo entra com câmera. O local é extremamente abafado. Os fdps ganham muita grana e não podem investir em ar condicionado que funcione. Já meio saturados de renascimento, pouco dispostos a encarar um lugar abafadíssimo e com Luciana já se sentindo mal por algum motivo que não me recordo, saímos logo dali.

Caminhamos até o Rio Arno

Partimos em direção à Ponte Vecchio, repleta de joalherias caras

É bem legal, o pôr do sol lá é bem famoso, mas optamos por seguir em direção à Piazzale Michelangelo.

Parada pra uma foto do Rio Arno

A Piazzale Michelângelo fica no alto, você começa a subir, subir

E quando acha que chegou, você tem que encarar uma escadaria medonha, como diria Luciana.

Pausa pra descansar

E mais escadas

Mas digo, vale todo o esforço. Lá em cima tivemos um dos melhores momentos da viagem. Com uma vista lindíssima, onde se destacam o Duomo

A Capela Médici

O Palazzo Vecchio

Os 3 juntos

O Rio Arno e a Ponte Vecchio

Tudo isso

E a natureza com o sol se pondo ao fundo

Nos sentamos nas escadas

e tivemos o prazer de ouvir um sujeito com cara de maconheiro que tocava violão muito bem. Sempre ela, a música, compondo o ambiente

No mesmo local pararam dois japas que haviam se casado e estavam tirando fotos por toda a cidade. Ficamos assistindo ao pôr do sol dali

Mais uma olhada na cidade, com uma cor diferente

E nos preparamos para ir embora. No meio da praça havia mais uma réplica do David iluminada pela lua, afinal, a praça era em homenagem a Michelângelo

Pegamos o ônibus e nos mandamos pro hotel.

Esse post foi publicado em 2.2 - Florença. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Toscana, dia 1 – o charme de Florença

  1. Luciana disse:

    Ah, vc não explicou direito… Neste mirante das escadas, enquanto pessoas ouviam a música e apreciavam a paisagem, alguns casais com taças de vinho, chegou um carrão de onde saíram dois noivos, ou seja, smoking e vestido de noiva, subiram metade da escada e foram fotografados… As pessoas riram, fizeram barulho… Isso tudo aconteceu e eu NÂO VIIIIIIIII. Eu iria ter adorado ter visto pq acho essas coisas fofas, mas perdi!! Owww… Só sendo muito autista mesmo hahaha. Detalhe que eles saíram numa foto que tirei e nem assim eu os vi.

  2. Luciana disse:

    Eu não vi pq tava filmando e batendo foto das paisagens… Ouvi o barulho das pessoas rindo, mas só perguntei a Marcos depois o que tinha sido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s